O que é a cultura de startup e como ela pode te ajudar
Title_dark_site.png

O que é a cultura de startup e como ela pode te ajudar

O termo Startup caracteriza uma empresa jovem, de cultura própria, e que busca ascender explorando, na maior parte dos casos, nichos de mercado novos ou mal explorados pelas grandes corporações. As startups são as meninas dos olhos do Vale do Silício e já representam uma boa fatia da renda empreendedora mundial.



Com as startups veio um modelo de trabalho mais moderno, atual e que tem se provado eficaz chamado Cultura de Startup. Um dos exemplos disso é o código de cultura da Netflix que, quando foi lançado em 2009, ainda não apontava para uma empresa bilionária que dominaria completamente um nicho de mercado.


Viu onde chegam as startups?

Vamos dar uma olhada nos pontos e você pensa se isso cabe para a sua empresa!


1 – Compartilhamento de conhecimento e desenvolvimento do time

Nenhuma informação ou procedimento deve ficar dentro da cabeça de uma única pessoa em uma startup. Os conhecimentos e processos foram feitos para serem divididos e compartilhados.

Ensinar é uma dádiva e uma necessidade dentro desse modelo porque a realidade de uma empresa startup é a mudança. Cargos podem deixar de existir, um investimento novo pode exigir contratação, um produto pode mudar de posicionamento... Por isso, todos devem deter os conhecimentos de tudo.


2 – Agilidade em processos

Três planilhas diferentes para fazer um único controle? Jamais em uma startup! Tempo é dinheiro e pessoas são dinheiro, logo, a burocracia deve ser reduzida ao máximo para que o tempo de resolução de problemas e finalização de processos seja o menor possível e envolva apenas o número necessário de pessoas.

Se um assunto precisa ser resolvido com urgência, ao invés de uma troca de e-mails gigante com 4 pessoas em cópia, uma reunião rápida e focada parece ser mais produtiva. A solução deve ser sempre  escolhida visando a agilidade e a assertividade.


3 – Incentivo de um ambiente de inovação

Um ambiente onde é seguro arriscar, errar (claro, não falando de errar frente ao mercado e aos investidores) e reinventar processos e produtos é o que essa empresa propõe.

A inovação às vezes não é tão grande quanto criar do zero algo revolucionário para entregar aos seus clientes, seja produto ou serviço, mas sim olhar com olhos de inovação para aquilo que já é feito por muitos e pensar: como isso pode ser inovador e muito mais útil para as pessoas? O espaço está sempre aberto para esse tipo de insight e pensamento dentro de uma startup.

Isso também tem muito a ver com fluxo de trabalho. É impossível ter soluções inovadoras se o profissional tem uma rotina de trabalho burocrática 8h por dia sem jamais ter um tempo para trabalhar em pesquisa, tendência, leitura ou outras coisas que realmente estimularão sua criatividade e senso de inovação.


4 – Lean: faça muito com poucos recursos

Esse ponto é realmente autoexplicativo. Em uma startup as soluções serão executadas mesmo que não contem com um time de 5 profissionais e um software caríssimo de gestão. Há uma outra forma simples, barata e que possibilite a execução de (praticamente) a mesma coisa? Essa será a aposta!


5 –Aqui todos participam!

A participação nas opiniões, decisões e processos deve ser de todos envolvidos na empresa. Impossível para a sua realidade? Adapte! Ouça mais, incentive aos gestores de área que façam mais reuniões de opinião e de soluções, crie um fórum interno, um banco de ideias... Crie algo! Participe sua equipe da realidade da companhia.

title_dark.png
Foto_posto.png

Rua José Testoni, nº. 01, sala 12

(antiga Rua Modesto Fernandes Vieira - Cep 88303-396 )

CEP 88307-098, Dom Bosco, Itajaí - SC